domingo, 22 de novembro de 2015

Indicação de Leitura - Madame Bovary



Madame Bovary, além do seu tempo.

 Com o advento do estilo literário Realismo, na França, temos a obra “Madame Bovary”, de Gustave Flaubert, publicada em 1857. Contrapondo-se ao estilo anterior, o Romantismo, essa obra teve um papel inovador, opondo-se aos costumes da sociedade da época. Essa repercussão provocou, inclusive, um processo contra o autor, sendo acusado de ofensa à moral e à religião.
 Apesar da sua linguagem típica do século 19, essa leitura permite uma imersão do leitor em sua narrativa através de descrições minuciosas, diálogos diretos e retratos psicológicos de seus personagens. Emma Bovary, protagonista, sempre foi uma mulher sonhadora e idealizava a sua vida amorosa, mas, ao casar-se com Charles , um médico interiorano, sente-se frustrada e infeliz em seu casamento e acaba envolvendo-se com outros homens em busca de uma paixão arrebatadora. A partir desse enredo envolvente, Flaubert também faz críticas à sociedade burguesa da época.


Entre algumas adaptações para o cinema, destaca-se a última, lançada neste ano no Brasil, tendo com protagonista a atriz Mia Wasikowska ("Alice no País das Maravilhas", "Inquietos") e com direção de Sophie Barthes.








Fontes:

Sarau Entreverbo #24 - 26/11/2015



Olá, Viajantes!


Nesta quinta-feira, 26/11/2015, acontece mais um sarau da Revista Entreverbo em Canoas. 
O evento comemora os dois anos da revista em sua 24ª edição. Entre outras atividades, está a leitura dos poemas publicados na edição deste mês.








Mais informações sobre o evento e a Entreverbo em:


Está lançado o convite.
Com os versos pensar, entre verbos viajar.
E, assim, estejamos com a Entreverbo, Viajando no Pensar.

sábado, 7 de novembro de 2015

Comentários





Acesso o site de notícias,
passo os olhos nas imagens e títulos,
até algo minha atenção chamar…
clico em um link
e começo minha leitura.


O jornalista tenta ser imparcial,
como algumas teorias um dia lhe orientaram,
mas sua humanidade um dia lhe mostrou o contrário.


Termino de ler.
Certo! Informação obtida.
Mas ainda permaneço nessa página,
pois parecem que outras pessoas também escreveram sobre o fato.
Então, por que não? Vamos ver o que as pessoas pensam sobre isso…


Depois de algum tempo lendo, percebo algo que me intriga.
Em sua quase totalidade, os comentários não são sobre a notícia.
São expressões de ódio, ignorância, preconceito, enfim, toda espécie de mal que pode brotar de um ser que se diz humano.


Alguns tentam manter a coerência e o foco na reportagem, porém sem sucesso.
Outros tentam apaziguar os atritos entre os comentadores mais acalorados.
Virá um circo, não melhor dizendo, sem ofender o mundo circense, assemelha-se
à um espetáculo de horrores, onde o que passa a ter valor são os conceitos, preconceitos e verdades de cada um.


Poderia passar horas analisando, escrevendo, tentando compreender tal fenômeno que leva as pessoas a agirem assim.
Quem sabe um estudo profundo sobre os comentários de internet.

Certamente diversas áreas do conhecimento teriam suas explicações, embasamentos teóricos dos mais variados. Mas, nesse momento, como mera leitora daquilo que vira notícia na mídia diária, dou-me o direito de apenas me revoltar com a situação e amanhã, quem sabe, cair novamente no erro de ler os comentários, sem mudar nada então, como num ciclo vicioso.  

Autoria: Rosana Machado de Jezus e Rafael Silveira

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Inevitável




Não posso te ver
não sei nem quando você vem
e, sinceramente, não quero lhe ter,
mas não sei viver sem pensar em você,
pois seus mistérios me atraem.

Você é inevitável.
Misteriosa, noturna,  mística…
No avançar da idade, considerada inevitável.
Na flor da juventude, muito trágica.

Nesse misto de sensações,
alguns até evitam citar seu nome.
Usam outras palavras, fazem apenas alusões.
Mas é certo que você virá firme
sem exitar nas suas missões.

Você vem como uma dama misteriosa,
age de forma sorrateira ou majestosa,
Apenas quando já dominou a cena, é que percebemos sua presença.
Debruçando, sobre a terra, um corpo já inerte.

Autoria: Madô Rocha


quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Seleção de Poemas Entreverbo



Olá, Viajante!

O que acha de ter seu poema publicado em uma revista?

Então, essa é a sua oportunidade. 
A Entreverbo está selecionando poemas para a 24ª Edição de sua revista.

Regras para participar:
- Mande apenas UM poema;
- O poema deve ter no máximo 30 VERSOS;
- Envie seu poema digitado e no corpo do e-mail, NÃO ENVIAR ANEXOS;
- Não envie poemas em caixa alta (todas as letras maiúsculas), por padrões estéticos da revista e para manter uma igualdade de estilo entre os textos selecionados solicitamos a observância desta regra;
- Não esqueça de assinar seu poema com o nome que deseja que seja apresentado na revista.
A não adequação destas regras desclassifica automaticamente o poema   



LEMBRETE DA ENTREVERBO:
"Lembrando que fomos contemplados com o projeto Iniciativa Entreverbo pelo Programa de Incentivo À Cultura da Prefeitura Municipal de Canoas - PIC e a publicação na revista é GRATUITA dando direito ao recebimento de dois exemplares da revista.
Não fique de fora desta edição comemorativa de dois anos de nossa singela coletividade:
Eis o convite: Entre.
Eis o motivo: Verbo.
Então permitamo-nos estar: Entreverbo(s)."

Tá fazendo o que parado ai?
Corre que restam dois dias apenas. ;)

Mais informações em: